São dados da agência marítima e da Guarda Costeira britânica, comparando com valores de 2017
UK Maritime and Coastguard Agency
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

No final de 2018, existiam 1.306 navios registados no Reino Unido, correspondentes a uma tonelagem bruta (gross tonnage) de 16 milhões, menos 1% do que em 2017, segundo dados oficiais da Agência Marítima e da Guarda Costeira britânica (MCA). E dados da IHS Global referem que na mesma data a frota comercial registada no país correspondia a 0,8% do porte bruto (deadweight tonnage) e a 1,1% da tonelagem bruta da frota mundial.

Entretanto, um relatório (Maritime Growth Study, ou MGS) de 2018 referia que a MCA pretendia aumentar a tonelagem bruta da frota registada no Reino Unido para 30 milhões e melhorar a qualidade dos armadores e dos navios para que a idade média de 90% dos navios da frota comercial internacional do país com mais de 500 toneladas brutas seja igual ou inferior a 10 anos.

Além disso, a frota de navios do Reino Unido detidos ou geridos no país é maior do que a frota comercial lá registada, representando 4% da frota mundial em porte bruto. Em 2018, o volume de porte bruto de navios detidos ou geridos no Reino Unido em 2018 aumentou face ao ano anterior, mantendo uma tendência de anos recentes. Recorde-se que, apesar da quebra de 1% em 2017, a tonelagem bruta dos navios registados no Reino Unido aumentou 16% desde 2014, quando existiam 1.327 navios registados no país.

Esta tendência para um aumento da tonelagem bruta desde 2014 seguiu-se a cinco anos de quebra na frota registada no Reino Unido, durante os quais várias grandes empresas preferiram registar os navios fora do país por motivos comerciais.

Voltando a 2018, no final desse ano, o Reino Unido ocupava o 18º lugar em porte bruto de navios registados a nível mundial (Portugal ocupava o 15º), num ranking chefiado pelo Panamá (1º), Libéria (2º), Ilhas Marshall (3º), Hong-Kong (4º) e Singapura (5º). O primeiro país europeu era Malta (6º, na classificação geral) e Portugal era o quinto, excluindo o registo dos navios da Insígnia Vermelha (que inclui os navios do Reino Unido, dependências da Coroa e territórios britânicos ultramarinos).



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Selvagens Ilhas Afortunadas

    Junho 6
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill