Apesar da recuperação no transporte marítimo, a consultora Drewry prevê que os salários das respectivas tripulações não deverão sofrer grandes alterações no curto prazo.
Porta-contentores
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Para tal facto aparentemente algo paradoxal, o mais recente relatório da Drewry apresenta algumas justificações como os constrangimentos financeiros a que os armadores e operadores, apesar de tudo, continuam sujeitos, bem como a maior oferta de oficiais que se tem verificado no período mais recente.

Ainda de acordo com o relatório da Drewry, a falta de confiança no mercado tem mesmo conduzido a que os salários se tenham vindo a manter praticamente invariáveis desde 2009, mesmo com um pequeno decréscimo médio ao longo do último ano, não se prevendo um aumento além de cerca de 1% nos tempos mais próximos.

Em tal enquadramento, outro factor apontado no relatório para a relativa invariabilidade média dos salários respeita à queda no preço do petróleo e uma consequente menor procura de oficiais no sector de offshore, não obstante haver, em sentido inverso, áreas como a do transporte de Gás Liquefeito com uma crescente procura de oficiais com particular experiência e onde os salários médios têm vido a subir um pouco mais e tendem a ser, consequentemente, um pouco mais elevados.

Numa perspectiva a cinco anos, porém, admitindo uma suavização na pressão financeira na gestão das respectivas tripulações, bem como a permanência da tendência de baixa inflação, a Drewry prevê igualmente uma gradual melhoria e aumento dos mesmos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Greenfest

    Setembro 28 - Outubro 1
  2. Logística e Cadeias de Abastecimento

    Outubro 11 @ 9:30 - 18:00
  3. 1ª Feira e Congresso Trabalhar num Navio

    Outubro 19 @ 11:00 - 19:30
  4. MOST Iberia 2017

    Outubro 21 - Outubro 24
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill