Onze mil quilómetros e 16 dias depois de ter partido do porto de Tangshan, na China, o comboio com 34 contentores chegou ao porto de Antuérpia, através da ligação «Belt and Road», o grande projecto estratégico chinês de ligação comercial entre o Extremo Oriente e a Europa e a África
Belt and Road
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

No último Sábado, chegou ao porto de Antuérpia, na Bélgica, o primeiro comboio directo de mercadorias proveniente da China integrado no projecto «Belt and Road» com destino àquele porto, após 16 dias de viagem e 11 mil quilómetros percorridos desde o porto chinês de Tangshan, refere o Safety4Sea.

Com 34 contentores carregados de mercadoria diversa, incluindo minerais para indústrias (papel, cerâmica, higiene oral e cosmética), o comboio for descarregado no terminal da Euroports, de onde a mercadoria é distribuída para o resto da Europa. O serviço foi uma iniciativa do município de Tangshan e do porto de Tangshan, em colaboração com a Cosco Shipping Lines e a Chinese Railways (CRCT).

Segundo a publicação, o Governo chinês pretende um comboio directo para Antuérpia uma ou duas vezes por mês. Nesse sentido, o município de Tangshan e as autoridades portuárias de Antuérpia deverão assinar um Memorando de Entendimento com o município de Antuérpia. Refere-se também que a CRCT pondera analisar a possibilidade de estabelecer um gabinete comercial na Europa.

Luc Arnouts, da Autoridade Portuária de Atuérpia, citado pela publicação, afirmou que “esta ligação ferroviária directa coloca o nosso porto no mapa da «Belt and Road» e reforçará os nossos laços com a China”, dizendo ainda que era um projecto aguardado há muito “e que representa um marco importante nas nossas relações comerciais com a China”.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill