Carlos Sousa Reis, ex-Presidente do INIP e do IPIMAR, não hesita quando afirma que a política das pescas seguida desde a nossa entrada na CEE/UE tem sido um suícidio. Não sabemos pescar, não queremos pescar e, como se não fosse pouco, deixamos os nossos recursos serem também delapidados por terceiros.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone


2 comentários em “Portugal e o Suícidio da Pesca”

  1. João Carvalho diz:

    Sempre fui muito atento à questão das pescas nas suas várias vertentes. Desde miúdo que acompanho o sector que foi o meu “ganha pão” durante muitos anos. Não há dúvida nenhuma que os aspectos focados são de grande importância e traduzem a dificuldade da manutenção de um sector que tende a morrer muito rapidamente, se não forem tomadas medidas que, para além de serem necessárias, são urgentíssimas. Como é óbvio, muita coisa ficou por dizer e por analisar mas…o fundamental ficou a “claro”. Muita política e…pouco saber.

  2. Pedro diz:

    De acordo João Carvalho, «(…) o fundamental ficou a “claro”. Muita política e…pouco saber.». Parabéns aos interlocutores pela atualização, pelo esclarecimento doloroso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill