A queda de uma grua provocou um buraco no convés do navio durante reparações a que estava a ser sujeito em Murmansk
Mútua dos Pescadores
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O único porta-aviões russo, o Almirante Kuznetsov, ficou danificado esta semana na sequência de um acidente com uma grua de 70 toneladas que provocou a cedência da doca seca na qual se encontrava para reparações, no 82º Estaleiro de Reparações, em Murmansk, na Rússia, refere o Maritime Executive. De acordo com a publicação, a grua tombou sobre o convés do navio, deixando um buraco de 4 a 5 metros e provocando o afundamento da doca seca. Terão ficado feridos quatro trabalhadores do estaleiro e outro estava desaparecido no momento da notícia, em 30 de Outubro, segundo a publicação.

De acordo com a publicação, que cita um dirigente da United Shipbuilding Corporation, responsável pelos trabalhos de reparação, nenhuma parte vital do navio foi atingida. Apenas se terão danificado estruturas de metal, que levarão cerca de uma semana e meia a reparar, sem afectar o calendário da reparação geral do porta-aviões, que foi retirado da doca seca por uma equipa de emergência durante o afundamento.

O Almirante Kuznetsov é um navio da época da Guerra Fria com uma longa história de problemas e chegou a viajar acompanhado de rebocadores em deslocações ao estrangeiro. Os trabalhos de reparação originalmente programados incluíam a substituição das caldeiras, que não estarão notoriamente nas melhores condições. De acordo com a publicação, o navio estará fora de serviço até 2021.

Quanto à doca seca (PD-50), também é da era soviética, mede 330 por 88 metros, pesa 88 toneladas e estava equipada com duas gruas. Entre outros trabalhos ali efectuados conta-se a recepção dos destroços do famoso submarino nuclear russo Kursk, que se afundou no Mar de Barents, em 2000, com 118 tripulantes a bordo. Será reparada e colocada novamente a flutuar, mas dentro de um prazo que permanece incerto.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Seminário WavEC 2018

    4 Dezembro, 2018 - 5 Janeiro, 2019
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill