Com este entendimento, a União Europeia dá um passo importante para cumprir os compromissos assumidos por ocasião do Acordo de Paris sobre as Alterações Climáticas
QUERCUS
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Parlamento Europeu (PE) e o Conselho chegaram ontem a um entendimento provisório sobre a revisão do mecanismo europeu de troca de emissões (EU Emissions Trading System, ou EU ETS) para depois de 2020. Segundo a Comissão Europeia (CE), este acordo servirá para alinhar a União Europeia (UE) com o seu compromisso de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa pelo menos em 40% até 2030, assumido no âmbito do Acordo de Paris sobre as Alterações Climáticas.

Diz a CE que o acordo de ontem é o resultado de mais de dois anos de negociações intensivas, na sequência da sua proposta de rever o EU ETS em Julho de 2015. Na sequência deste acordo político, que resulta de um diálogo tripartido entre a CE, o PE e o Conselho o texto terá de ser formalmente aprovado pelo PE e o Conselho. Depois de endossado por ambos, a Directiva revista do EU ETS será publicada no Jornal Oficial da União e entrará em vigor 20 dias depois.

A propósito do acordo agora alcançado, o Comissário para a Acção Climática, Miguel Arias Cañete, declarou que o mesmo demonstra que a UE está a converter os compromissos assumidos no Acordo de Paris em acções concretas e a comandar mais uma vez a luta contra as emissões de carbono.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill