Depois de rejeitada a sua entrada em Malta e Itália, o navio humanitário com migrantes resgatados no Mediterrâneo atracou em Espanha, no dia 28 de Dezembro
Joseph Muscat
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Atracou Sexta-feira no porto de Crinavis, em Cádis, no sul de Espanha, o navio humanitário Open Arms, com 311 migrantes a bordo, mais de 100 dos quais crianças, resgatados no dia 21 de Dezembro de embarcações de borracha ao largo da Líbia, no Mediterrâneo.

Segundo referiu a imprensa, é naquele porto que está instalado desde Agosto um Centro de Assistência Temporária para Estrangeiros e que será o destino final dos migrantes. À chegada, os migrantes receberam assistência da Cruz Vermelha e posteriormente foram sujeitos a um processo de identificação e de análise da sua situação.

Segundo terá então afirmado à imprensa Vicente Raimundo, da organização Save the Children, as crianças a bordo seriam fugitivas das guerras da Somália e da Síria. Quanto à maioria das três centenas de migrantes, terá passado pela Líbia. Recorde-se que o navio chegou a Espanha depois de lhe ter sido proibido atracar em Malta e em Itália, conforme oportunamente demos nota no nosso jornal.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. IV Grande Conferência JEM

    Janeiro 22 - Janeiro 23
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill