Clean Arctic Alliance insta IMO a acabar com HFO no Árctico até 2020
Clean Arctic Alliance
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A organização não-governamental (ONG) Clean Arctic Alliance emitiu uma comunicação a instar a IMO para eliminar o uso de combustíveis pesados (heavy fuel oils, ou HFO) nas águas do Árctico até 2020. O apelo da ONG surge dias antes da reunião do Comité para a Protecção do Ambiente Marinho (MEPC, em inglês) da IMO, que a Clean Arctic Alliance quer aproveitar para fazer vingar a sua mensagem.

“A IMO deve começar imediatamente a eliminar os HFO das águas do Árctico”, afirmou Sian Prior, Conselheiro da Clean Arctic Alliance, citado pelo site informativo Green4Sea, que recorda que o uso de combustíveis pesados na região tende a aumentar, na sequência do aumento de transporte marítimo no Árctico, que deve crescer 50 por cento entre 212 e 2050.

Actualmente, os HFO são utilizados no Árctico para dois fins: como combustível marítimo nos navios que navegam naquelas águas e por comunidades locais no aquecimento das suas habitações. Por este motivo, a Clean Arctic Alliance considera que “qualquer esforço para mitigar os riscos colocados pela utilização de HFO no Árctico deve ser abordado sob duas perspectivas diferentes”.

Uma é eliminar o uso e o transporte dos HFO nas águas do Árctico, assim mitigando as consequências de um derrame e contribuindo para reduzir as emissões na região. Isso pode obter-se, por exemplo, substituindo os HFO por um combustível alternativo, com baixo teor de enxofre.

Outra é reconhecer a dependência que as comunidades locais têm dos HFO relativamente à utilização doméstica e considerar os combustíveis pesados como mercadoria no futuro.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill