Substituindo a sardinha pelo carapau, o arraial, organizado pela associação Renovar a Mouraria com apoio da PONG-Pesca, Docapesca, Sesibal e Makro Cash & Carry Portugal, pretende ser sustentável, chamando à atenção para alternativas viáveis ao consumo da sardinha cujo stock está em declínio.
PONG-Pesca
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Ao som de uma banda de rumba e soukous formada por imigrantes originários da região do Baixo Congo e em jeito de comemoração do Dia Mundial dos Oceanos, a PONG-Pesca está a apoiar a associação Renovar a Mouraria na organização do primeiro «Arraial com Carapau», no dia 8 de Junho.

Na tentativa de “chamar à atenção das pessoas para alternativas viáveis ao consumo da sardinha, espécie cujo stock ibérico se encontra em declínio há vários anos”, refere o comunicado oficial, o arraial terá carapau. Uma espécie igualmente nutritiva e cujo stock está em bom estado, não tendo sido explorado na sua totalidade nos últimos dois anos.

Para Rita Sá, representante da PONG-Pesca, “esta diversificação no peixe que consumimos é uma boa prática que deveria ser replicada por mais arraiais, e esperemos que este acto pioneiro venha a abrir essa porta no futuro”.

“O carapau é uma espécie sustentável, abundante na nossa costa e rica do ponto de vista nutricional. A promoção desta espécie, tradicional na gastronomia portuguesa, mas pouco valorizada comercialmente, representa um contributo para o aumento da rentabilidade do sector das pescas em Portugal e para uma retribuição mais justa ao pescador”, explica Ana Paula Queiroga, da Docapesca, que fornecerá 100 kg de carapau gratuitamente.

Neste âmbito, a associação da Mouraria, que pretende organizar o arraial mais sustentável de Lisboa, terá inclusivamente utensílios reutilizáveis bem como compostagem dos restos alimentares. Inês Andrade, presidente da Associação Renovar a Mouraria, afirmou “que a decisão de não servir sardinha resulta do nosso desejo de sermos tão amigos do ambiente possível e acreditamos que vamos conseguir chamar a atenção de muitas pessoas para a questão do mau estado biológico da sardinha”.

Também vão apoiar a iniciativa a  Sesibal, a Organização de Produtores de pesca do cerco que irá capturar os carapaus com esta arte de pesca, e a Makro Cash & Carry Portugal, que facilita o transporte do peixe fresco.



2 comentários em “O primeiro arraial com carapau arranca na Mouraria”

  1. Acho muito boa a iniciativa. Gosto muito de carapau e penso que é um peixe com muitas potencialidades. Óptima ideia!

  2. José Patrício diz:

    Acho uma iniciativa brilhante , já que os sucessivos Governantes , estão de costas viradas para o mar . O mesmo se passa com os Robalos , polvo e lulas é uma vergonha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill