No Dia da Língua a conversa incide sobre a possível contribuição da CPLP para a segurança no Golfo da Guiné, passando também pelas mais estreitas relações entre Portugal e Cabo Verde, inclusive no domínio da Cooperação Militar e, muito em especial, no âmbito marítimo, assim como possíveis formas de atrair o Brasil a uma mais intensa colaboração no seio da mesma CPLP em termos marítimos no contexto do Atlântico Sul e Médio.
Clarksons Research


4 comentários em “O possível contributo da CPLP para a segurança no Golfo da Guiné”

  1. Lamentavelmente foi censurada no Facebook uma referência à vossa notícia http://www.jornaldaeconomiadomar.com/a-falta-de-lideranca-natural-no-combate-a-inseguranca-no-golfo-da-guine/ , a propósito da comemoração da língua portuguesa, precisamente por defender a utilidade da CPLP no assunto.

  2. Caro Manuel Lima Carneiro,

    Os nossos agradecimentos pela chamada de atenção mas, como imaginamos que seja também a sua conjectura, se houve inerferência _ censura _ não foi da nossa parte.

    Para sermos francos, não percemos o que se possa ter passado ou estja a passar-se.
    De qualquer modo, pode sempre comentar aqui e será sempre um gosto lermos o que tem a dizer.

    Com os melhores cumprimentos,
    Gonçalo Magalhães Collaço

  3. Luís Bernardino diz:

    Foi censurado? Como? De que forma? Não sabia…

  4. Bom dia; Efetivamente, a propósito do dia da Língua Portuguesa, anexei o link da vossa notícia num comentário ao post do Dr. Paulo Morais, também como sugestão da utilidade da CPLP na zona, quer para os membros, quer para a comunidade internacional. O Facebook notificou-me da censura para impedir “publicidade enganosa, fraude e falha de segurança” que eu teria usado: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=322903099199881&id=100044405800477
    Informei o Dr. Paulo Morais do sucedido, e republiquei.
    Cumprimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill