O Navio Patrulha Oceânico «Viana do Castelo» integra desde ontem a frota da Agência Europeia de Fronteiras e Guarda Costeira, FRONTEX, em missão controlo, vigilância de fronteiras marítimas e combate ao crime transfronteiriço, bem como proceder ao salvamento e resgate em massa de migrantes náufragos
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A missão do «Viana do Castelo», enquadrada no esforço europeu de controlo das fronteiras externas marítimas, será coordenada pelas autoridades italianas e conta com a participação de diversos meios marítimos, navais e aéreos de várias organizações e países da União Europeia, devendo, deverá prolongar-se até dia 9 de Novembro próximo.

Está previsto que o «Viana do Castelo» assegure, ao longo desta missão, mais de meio milhar de horas em patrulha do Mediterrâneo Central, estimando-se que percorra, durante esse período, mais de 4 000 milhas marítimas na área de operação.

Com uma guarnição composta de 53 militares, onde se inclui uma equipa do Pelotão de Abordagem dos Fuzileiros, uma equipa de mergulhadores e equipa médica, o «Viana o Castelo» contará adicionalmente nesta missão com dois representantes do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e dois elementos da Guarda de Finanças e da Guarda Costeira Italiana.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. 1ª Feira e Congresso Trabalhar num Navio

    Outubro 19 @ 11:00 - 19:30
  2. MOST Iberia 2017

    Outubro 21 - Outubro 24
  3. Mineração em Mar Profundo – Uma escolha sustentável para Portugal?

    Outubro 27 @ 9:00 - 18:00
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill