Navio hidrográfico realizou missão de mapeamento do fundo marinho da Madeira, no âmbito de um programa mais amplo de mapeamento do mar português
SEDMAR
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Deverá regressar amanhã, 9 de Junho, ao porto do Funchal, o navio hidrográfico Almirante Gago Coutinho, depois de uma missão de pesquisa científica ao largo das Ilhas Selvagens, no arquipélago da Madeira, que contribuirá para o mapeamento dos ecossistemas marinhos no quadro do projecto SEDMAR.

Durante esta missão, iniciada em 29 de Abril, a equipa a bordo do navio procedeu a “levantamentos com sondador multifeixe para conhecimento detalhado da profundidade, levantamento com perfilador de sedimentos, para conhecimento da espessura de sedimentos entre o fundo marinho e o substracto rochoso, e com magnetómetro, para conhecimento de anomalias magnéticas”, refere a Marinha.

A missão incluiu também “aquisição de amostras de sedimentos do fundo marinho para caracterização mais específica física e química”, com utilização de “técnicas resultantes da análise dos levantamentos iniciais, nomeadamente, colheita de sedimentos da superfície do fundo marinho ou colheita profunda ao longo da camada sedimentar”, explica a Marinha. Os organismos vivos colhidos serão “guardados para análise laboratorial no âmbito de estudos de biologia marinha”, acrescenta a Marinha.

A Marinha esclarece ainda que “o projecto SEDMAR tem como grande objectivo o mapeamento dos ecossistemas marinhos do território nacional, no que concerne à natureza dos fundos da plataforma e vertente continental do arquipélago da Madeira”, compreendendo “como produtos finais, três cartas sobre a natureza geológica dos fundos marinhos entre a zona interna da plataforma insular e os 3.000 metros de profundidade”.

O estudo contempla uma abordagem multidisciplinar que envolve diversas “etapas de aquisição e processamento de dados acústicos e geofísicos, assim como amostragem sedimentar”, nas quais se pretendem “adquirir dados multifeixe e de retrodispersão acústica (incluindo a coluna de água), assim como perfis de reflexão sísmica e amostras do substrato sedimentar”.

O projecto faz parte de um programa de “Mapeamento do Mar Português, no qual o Instituto Hidrográfico, como serviço hidrográfico nacional, pretende contribuir para aumentar o conhecimento nas áreas estratégicas de interesse nacional e, desta forma, promover as actividades de desenvolvimento tecnológico, exploração sustentável dos recursos e investigação científica associadas às Ciências do Mar”, adianta a Marinha.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill