Não obstante a controvérsia sobre as novas concessões a serem atribuídas para a exploração de hidrocarbonetos no Mar Báltico, o Governo Norueguês revelou já quais os vencedores do concurso que agora termina.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Primeiro–Ministra da Noruega, Erna Solberg, acaba de revelar os vencedores dos 26 concursos abertos para as concessões de novas áreas para exploração de hidrocarbonetos no Mar de Barents, tendo as norueguesas Statoil e Lundin saído como as grandes vencedoras, ficando a primeira com cinco concessões como operadora, uma das quais em parceria, e a segunda com três, igualmente como operadora.

Dado interessante, são também as licenças atribuídas à russa Lukoil e à DEA Norge, empresa norueguesa com forte participação de capitais russos, manifestando a relação amistosa entre a Noruega e a Rússia no que respeita, pela vizinhança, à exploração dos recursos do Mar de Barents.

Licenciamentos atribuídos:

  • Capricorn Norge, 3 licenças, 1 como operadora.
  • Centrica Resources, 1 licenças, 1 como operadora.
  • Chevron Norge, 1 licença;
  • ConocoPhillips Skandinavia, 1 licenças;
  • DEA Norge, 2 licenças;
  • Det Norske Oljeselskap, 3 licenças, 1 como operadora;
  • Idemitsu Petroleum Norge, 2 licenças;
  • Lukoil Overseas North Shelf, 1 licenças;
  • Lundin Norway, 5 licenças, 3 como operadora;
  • OMV, 1 licenças;
  • PGNiG Upstream International, 1 licenças;
  • Statoil Petroleum, 5 licenças, 4 como operadora;
  • Tullow Oil Norge, 1 license.

A controvérsia, porém, não terminou, tendo a Greenpeace Noruega manifestado-se já profundamente desiludida com a decisão, apontando para todos os perigos que as novas explorações implicam, seguindo também os argumentos em relação à sua legitimidade como os noticiados aqui.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill