Um relatório do Gabinete de António Guterres refere que crimes de pirataria marítima e relacionados com petróleo pesaram fortemente nas receitas da Nigéria no último ano
Wood Mackenzie
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A Nigéria perdeu 2,4 mil milhões de euros em 2018 na sequência de crimes relacionados com o petróleo e a pirataria marítima, refere um relatório do Gabinete do Secretário-geral das Nações Unidas sobre o papel da organização na África Ocidental e no Sahel no período entre 1 de Julho e 31 de Dezembro do último ano, citado pela Safety4Sea.

De acordo com o documento, a pirataria marítima, particularmente no Golfo da Guiné, é uma das principais preocupações de segurança das Nações Unidas nesta região, constituindo uma ameaça à paz e ao desenvolvimento regionais. Dados da organização citados pela publicação referem que de 1 de Janeiro a 23 de Novembro de 2018, registaram-se 82 incidentes criminosos e de pirataria marítima no Golfo da Guiné.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill