Dados da Frontex referentes ao ano passado registaram diminuições para todos os países menos Espanha, que registou um aumento de chegadas
Frontex
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Dados preliminares da Frontex, a Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira, indicam que em 2017 foram identificadas 204.300 situações de atravessamento ilegal das fronteiras externas da União Europa (UE) por migrantes económicos e refugiados rumo à Europa. É um número que representa uma diminuição de 60% face a 2016 e corresponde a uma descida pelo segundo ano consecutivo, muito devido à diminuição do número de indivíduos que chega à Grécia e a Itália via marítima.

No Mediterrâneo Central, notou-se que o número de chegadas a Itália em 2017, nomeadamente em Julho, desceu subitamente desde a implementação da declaração UE-Turquia, em Março de 2016. Os nigerianos (um em cada sete) representaram a maioria das chegadas por esta rota, seguidos por cidadãos de Guiné e Costa do Marfim.

No Mediterrâneo Oriental, fronteira externa da Europa com a Turquia, a pressão migratória em 2017 manteve-se aproximadamente ao nível dos anos anteriores. No entanto, o número de identificações na segunda metade do ano foi maior do que no mesmo período de 2016, o que reflectiu as tentativas contínuas de grupos de contrabando de contornar a vigilância das fronteiras, apesar do compromisso assumido pelas autoridades turcas em vigiar as suas fronteiras. Sírios e iraquianos continuaram a ser as duas principais nacionalidades a chegar à Grécia, por via da Turquia, em 2016.

Ao contrário das rotas anteriores, a do Mediterrâneo Ocidental, registou um aumento. Espanha assistiu a um aumento de chegadas por esta rota, para mais do dobro desde que a Frontex começou a recolher dados, em 2009. Diz a Frontex que o número de migrantes a tentar alcançar Espanha a partir do norte da África atingiu um novo recorde de 22.900. A situação na região do Rif, em Marrocos, o principal país de passagem de migrantes para Espanha, criou uma oportunidade para mais saídas da costa ocidental africana no segundo semestre. E esse facto veio acompanhado de um uso crescente de embarcações de alta capacidade, capazes de transportar grande número de migrantes. Quase 40% eram nacionais da Argélia e Marrocos e a maioria dos restantes veio da África Ocidental.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill