A Hurtigruten em parceria com a Brim Explorer está a criar um catamarã eléctrico para percorrer as águas polares.
Arctic Sunrise
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A operadora de cruzeiros Hurtigruten fez uma parceria com a start-up norueguesa Brim Explorer para introduzir um catamarã movido a electricidade para explorar as águas polares, segundo vários meios de comunicação.

Com lançamento previsto para a Primavera de 2020, o navio de 24 metros de comprimento e capaz de transportar 140 pessoas, sob a marca Hurtigruten, realizará excursões oceânicas sustentáveis e silenciosas a partir do porto de Longyearbyen, na ilha de Svalbard, no Árctico. E terá grandes baterias passiveis de se recarregarem em qualquer porto, sendo que têm 10 horas de autonomia, a uma velocidade de 10 nós.

“Uma pegada ecológica verde é o futuro da indústria, não só nas regiões polares como em outros lugares. Com uma grande ideia e parceiros dedicados como a Hurtigruten, decidimos construir uma embarcação diferente”, referiu Agnes Árnadóttir, Co-fundadora e CEO da Brim Explorer.

Note-se que a embarcação terá igualmente a bordo hidrofones e drones subaquáticos de outra startup norueguesa em parceria com a Hurtigruten, a Blueye Robotics, e os parceiros estão a trabalhar na integração de painéis solares com a linha de transmissão eléctrica para carregar as baterias enquanto navegam.

Ansiosa por ir ao encontro de uma ideologia “mais verde”, a equipa da Hurtigruten tem outro sector a trabalhar no processo de reconstrução completa de navios para operar com uma combinação de grandes conjuntos de baterias, gás natural liquefeito (GNL) e biogás (LBG).

Está também em construção um segundo navio, semelhante a este, mas da Brim Explorer, que deverá estrear-se no próximo Verão.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill