Até 2020, o IPMA fará parte de um consórcio de 13 parceiros de cinco países europeus para aumentar a rentabilidade da cadeia de valor e a competitividade entre os pescadores
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Até Novembro de 2020, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), através das suas Divisões de Aquacultura e Valorização (DivAV) e de Modelação e Recursos da Pesca (DivRP), participa num novo projecto europeu de investigação científica relacionado com valorização de pescas, denominado «CephsandChefs».

Financiado pelo programa Interreg da Área Atlântico com recursos do Fundo Eurpeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), o projecto visa “desenvolver novos mercados e produtos à base de cefalópodes (polvos, lulas, chocos), aumentar a rentabilidade da cadeia de valor e ajudar os pescadores da Área Atlântica a serem mais competitivos”, refere o IPMA.

Como “as populações de cefalópodes não estão sujeitas à aplicação de quotas ao nível da UE”, refere o IPMA, existem “oportunidades para o desenvolvimento de pescarias e mercados”, aumentando a “capacidade para lidar com os desafios económicos decorrentes da obrigação de desembarque, a globalização dos mercados, etc.”, assegurando simultaneamente a pesca sustentável, que neste caso será analisada sob o ponto de vista biológico e socioeconómico ao longo de todo o projecto.

Nesse sentido, o projecto destina-se também a “melhorar o conhecimento da cadeia de valor do mar ao prato), os factores que afectam a sustentabilidade a curto prazo (por exemplo, preços baixos, importações, mudanças nos padrões de consumo, entre outros) e desenvolvimento de potenciais mercados a longo prazo” e o “conhecimento sobre hábitos alimentares, padrões de consumo e aceitação de novos produtos à base de cefalópodes por parte dos consumidores na Europa do Norte e do Sul”, refere o IPMA.

A participação do IPMA faz-se pela inserção num consórcio que integra um total de 13 parceiros de cinco países (Portugal, Espanha, França, Irlanda e Reino Unido). No caso português, além do IPMA, participam a Universidade de Aveiro e a Associação de Armadores de Pesca da Fuzeta.

Os outros parceiros são a National University of Ireland Galway (Irlanda), a Universidade de Santiago de Compostela (Espanha), o Instituto Español de Oceanografía (Espanha), a Université de Caen Normandie (França) , a Irish South & West Fish Producers Organisation CLG (Irlanda), o Galway-Mayo Institute of Technology (Irlanda), a Quadralia (Espanha), a Cooperativa de armadores de pesca del puerto de Vigo (Espanha), o Marine Stewardship Council (Reino Unido) e a Atlantic Gate Ltd (Reino Unido).

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Seminário WavEC 2018

    4 Dezembro, 2018 - 5 Janeiro, 2019
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill