Esta é uma conclusão da Moore Stephens, que associa o interesse dos investidores no sector à obrigação de cumprimento de regras e critérios internacionais de sustentabilidade ambiental
Departamento Nacional de Estatística
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O transporte marítimo continuará a atrair investidores em 2019 se corresponder às suas exigências ambientais, sociais e de boa governança, considera a consultora Moore Stephens, citada pelo World Maritime News. Apesar de uma queda no final de 2018, os níveis de confiança nesta indústria registaram os mais altos níveis dos últimos quatro anos no primeiro semestre desse ano, refere o jornal.

De acordo com o mesmo meio de comunicação, citando analistas, investidores novos e já existentes revelam um interesse no transporte marítimo que se deve manter este ano se a indústria for ao encontro das novas regras ambientais que se impõem à indústria, como as relativas ao teor de enxofre nos combustíveis marítimos ou ao tratamento das águas de lastro.

Além de constituir uma oportunidade para os investidores, porque vai implicar investimento específico, incluindo em fundos dedicados a esta actividade, esta nova vaga ambiental no transporte marítimo parece estar a revelar preocupações reais dos investidores com a sustentabilidade ambiental, na medida em que o seu interesse esta associado ao cumprimento de critérios ambientais.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill