Direcção quer aumentar influência dos surfistas nos centros de decisão
Associação Nacional de Surfistas
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Francisco Rodrigues foi eleito para um segundo mandato como presidente da Associação Nacional de Surfistas (ANS) para o triénio de 2018-2020, numa estrutura de continuidade da entidade que representa os surfistas nacionais e que mantem todos os cargos iguais ao triénio de 2015-2017.

Por ocasião deste processo eleitoral, foram elencadas linhas orientadoras para os próximos anos – dar seguimento ao desenvolvimento da Liga MEO Surf, alargando a cobertura dedicada aos tipos de surfistas visados, dimensões impactadas e envolvimento do público e manter a linha de promoção dos surfistas associados junto dos meios de comunicação social, bem como aumentar a influência da ANS junto de centros de decisão com relevância para o Surf, segundo a associação.

Tratando primariamente da área de desporto, Francisco Rodrigues considera “uma boa consequência do trabalho da ANS ter mais surfistas no World Tour” e é para isso que trabalham, no sentido de melhorar tanto a organização da liga ano após ano, como garantir a existência de patrocinadores para os surfistas.

Relembre-se que a ASN é uma associação sem fins lucrativos, que tem por objectivo a defesa dos praticantes de surf em todas as áreas: competição, desenvolvimento, formação e mesmo protecção do ambiente.

 

 

Direcção

Presidente: Francisco Rodrigues

Vice-Presidente: Miguel Herédia

Tesoureiro: Francisco Paes de Vasconcelos

Secretário: Gonçalo Bandeira Vogal: Ruben Gonzalez

Mesa de Assembleia Geral

Presidente: Filipe Mayer

1º Secretário: João Freitas Fernandes

2º Secretário: Francisco Morgado

Conselho Fiscal

Presidente: Luís Cassiano Neves

1º Vogal: Francisco Amado

2º Vogal: Francisco Ladeira



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill