Nomeadamente maciços de sulfuretos polimetálicos, crostas de níquel, cobalto, platina, ferro e nódulos de manganês.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Filipe Porteiro falava no Mini Fórum do CYTED (Programa Ibero-Americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento), durante a apresentação do “Enquadramento Geológico e Oportunidades de Exploração Mineira no Mar dos Açores”, esta semana.

O Director – Geral explica que isto deve-se à cadeia de montanhas submarinas que os Açores têm perto da costa, cerca de 460 montes, cerca de 37% da Zona Económica Exclusiva dos Açores, com cinco campos hidrotermais.

“O Governo dos Açores considera que a exploração dos recursos minerais do oceano profundo é importante para o desenvolvimento socioeconómico da Região”, frisou. “Estão a menos de 24 horas da Região, o que é uma vantagem sob o ponto de vista económico e logístico”.

O Director Regional defendeu ainda que existem infraestruturas capazes, dando como exemplo o Porto da Praia da Vitória, na Terceira. Salientou o papel da Universidade dos Açores e do IMAR na investigação do mar profundo.

A exploração está iminente, algo que é reconhecido por toda a UE, mas “só agora se estão a construir os equipamentos tecnológicos que irão permitir a sua exploração comercial”.

Nesse sentido, a Universidade dos Açores é parceira de projectos europeus que visam estimar e mitigar os efeitos ambientais da exploração mineira do oceano profundo, com uma conferência marcada em parceria com a International Seabed Authority.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill