Novo projecto europeu, liderado pelo Laboratório de Sistemas e Tecnologia Subaquática da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, irá lançar infra-estrutura para utilização de redes de sistemas autónomos marinhos e garantir acesso transnacional aos investigadores europeus.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Os oceanos são a região menos explorada do planeta Terra e a protecção e o desenvolvimento sustentável dos seus recursos apresentam grandes desafios. Além disso, os veículos robóticos vão desempenhar um papel fundamental num futuro próximo, cada vez mais desafiante sobretudo na expansão em ambientes marinhos mais profundos, remotos e hostis. Mas apesar de haver uma comunidade dinâmica em expansão nesta área, a Europa está ainda muito condicionada em termos de uma efectiva integração e operação em rede, sendo que as oportunidades de acesso às infra-estruturas de investigação são muitas vezes escassas ou pouco coordenadas.

Com este enquadramento em mente, surge o EUMarineRobots (EUMR), projecto europeu coordenado pelo LSTS (Laboratório de Sistemas e Tecnologia Subaquática) da FEUP (Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto) que junta 15 parceiros de dez países, num grupo de entidades globalmente distinguidas nas áreas do Mar e da robótica. Estes parceiros são membros de uma grande variedade de redes existentes e colaboram em infra-estruturas de investigação formais e informais em todo o mundo. O EUMR pretende constituir, assim, a primeira etapa na agregação dessas redes, apoiando o crescimento de uma forte comunidade nas áreas do Mar e da robótica submarina

Retirando proveito das sinergias já estabelecidas pelos parceiros do Consórcio, o EUMR visa criar uma infra-estrutura de acesso a um conjunto de sistemas e equipamentos autónomos não tripulados (veículos aéreos, superfície e subaquáticos).  Como explica João Borges de Sousa, Director do LSTS-FEUP e Investigador Responsável pelo projeto, “o valor combinado desta parceria é muito maior que a soma das suas partes. Isso potencia o alcance do EUMR e vai de encontro ao seu principal objectivo: proporcionar o acesso transnacional, em termos de infra-estruturas-chave, aos investigadores europeus que se dedicam ao domínio da robótica marinha”. Significa isto que o projecto, ao longo dos três anos em que estará em curso, irá lançar várias avisos, de forma a permitir, aos candidatos seleccionados, o acesso transnacional a importantes recursos de Investigação e Desenvolvimento  de robótica submarina por toda a Europa, um sector de custos altos e com consideráveis barreiras para a I&D.

Financiado pelo programa Horizonte 2020, o EUMR irá receber uma contribuição financeira da Comissão Europeia de aproximadamente 5 milhões de euros.

Para além da FEUP como entidade coordenadora, são entidades parceiras do projeto a Universitaet Bremen (Alemanha), o IST-ID (Portugal), a Università Degli Studi di Genova (Itália), a University of Zagreb – FER (Croácia), a Universitat de Girona (Espanha), a University of Limerick (Irlanda), o Consorcio para el Diseno, Construccion, Equipamiento y Explotacion de la Plataforma Oceanica de Canarias (Espanha), a NATO Science and Technology Organization (Bélgica), a Heriot-Watt University (Reino Unido), a NTNU (Noruega), o Marine Institute (Irlanda), o Distretto Ligure delle Tecnologie Marine Scrl (Itália), o Natural Environment Research Council (Reino Unido) e o Ifremer (França).

Mais informações sobre o projecto estará brevemente disponível aqui.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill