Alguns empresários do transporte marítimo acreditam que o segmento de contentores beneficiou com a tensão comercial entre os dois países, dado que o nível de encomendas destes navios diminuiu, favorecendo o reequilíbrio na oferta destas unidades, que têm registado um excesso de capacidade instalada
George Youroukos
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Apesar de ter tido um impacto negativo no transporte marítimo, especialmente nos segmentos de tanqueiros e graneleiros, a perspectiva de uma guerra comercial entre os Estados Unidos e a China foi considerada benéfica para o segmento dos porta-contentores, segundo alguns empresários do sector, refere o World Maritime News.

A este propósito, o jornal cita George Youroukos, Executive Chairman da Global Ship Lease, que durante o 13º Fórum Internacional Anual do Shipping da Capital Link, referiu que “a guerra comercial foi a melhor coisa que aconteceu ao transporte marítimo de contentores nos últimos anos”. Segundo explicou, o conflito comercial colocou um travão às encomendas de novos navios, que terá registado o seu nível mais baixo em décadas, contribuindo para equilibrar a oferta de navios, que se tem debatido com o problema do excesso de capacidade instalada.

Além disso, segundo o mesmo responsável, citado pelo jornal, não deve existir preocupação com guerras comerciais nem com uma transferência dos centros de produção do Extremo Oriente para o hemisfério ocidental, pelo que não se devem temer grandes impactos deste conflito nos padrões globais do transporte marítimo de contentores.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill