Em Fevereiro, a associação visitou estaleiros em Alang, na Índia, e divulgou agora as suas conclusões, entre as quais a de que a União Europeia deve apoiar a integração de algumas dessas instalações na lista europeia dos estaleiros de desmantelamento certificados
Porto de Kiel
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

As Associações de Armadores da Comunidade Europeia (reunidas na ECSA, no acrónimo em inglês), divulgaram um relatório baseado naquilo que encontraram numa deslocação a instalações de desmantelamento de navios em Alang, na Índia, realizada no final de Fevereiro deste ano.

De acordo com a ECSA, a visita destinou-se a identificar as principais oportunidades e ameaças que se apresentam aos estaleiros indianos de reciclagem de navios numa fase em que dois desses estaleiros estão a ser avaliados para saber se podem integrar a lista europeia de estaleiros compatíveis com as regras de segurança e sustentabilidade da União Europeia (UE) e susceptiveis de receberem navios com pavilhão da UE.

Segundo a ECSA, os estaleiros visitados fizeram progressos nos últimos três anos, na esperança de serem integrados na lista europeia (onde os únicos estaleiros não europeus são dos Estados Unidos, Noruega e Turquia, e são poucos). Nesse sentido, considera a ECSA, a UE deve contribuir para o progresso desses estaleiros, ajudando os que foram auditados a terem uma oportunidade de entrar para a lista europeia.

Só encorajando esses estaleiros, entende a ECSA, estará a UE a promover a sua compatibilidade com as linhas da Convenção Internacional de Hong Kong para a Reciclagem de Navios Segura e Ambientalmente Segura (Convenção de Hong-Kong) e com os requisitos do Regulamento de Reciclagem de Navios da UE (EU SSR).



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill