O preço base do concurso é de 75 mil euros e a intervenção consistirá na substituição dos passadiços e beneficiação da ponte de acesso ao cais
Docapesca
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A Docapesca abriu concurso para substituição do cais flutuante da Foz de Odeleite, em Castro Marim, que ali existe desde os anos 90 do século passado, onde foi instalado para ajudar a promover as actividades marítimo-turísticas no Guadiana. O preço base do concurso é de 75 mil euros.

De acordo com a Docapesca, a intervenção consistirá “na substituição integral dos passadiços e na beneficiação da ponte de acesso que ao longo do tempo de serviço se tem vindo a degradar, facto que levou recentemente à interdição do seu uso devido ao colapso dos flutuadores e consequente submersão de uma das plataformas”.

Em substituição dos actuais três passadiços flutuantes de 36 metros de comprimento será construída uma nova estrutura equipada com os devidos meios de amarração e protecção, composta “por três elementos de passadiço flutuante com estrutura em aço galvanizado, convés em deck de madeira e flutuadores em betão com núcleo em poliestireno expandido”, refere a Docapesca.

A ponte de acesso, que é metálica e tem 15 metros de comprimento, será beneficiada com uma nova pintura anti-corrosão e substituição integral do convés e das pestanas por um “deck de madeira exótica com 21 milímetros de espessura, repondo as condições de segurança para os utilizadores”, segundo a Docapesca.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. IV Grande Conferência JEM

    Janeiro 22 - Janeiro 23
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill