A Autoridade Marítima Dinamarquesa vai recorrer a um drone para controlar as emissões de enxofre feitas pelos navios
Autoridade Marítima Dinamarquesa
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Nos próximos meses, a Dinamarca vai recorrer a um veículo aéreo não tripulado (drone) fornecido pela Agência Europeia de Segurança Marítima (EMSA, no acrónimo em inglês) para detectar os níveis de enxofre nos combustíveis dos navios que operam nas suas águas, revelou a Autoridade Marítima Dinamarquesa (AMD).

Segundo a AMD, o drone penetrará na pluma de do gás de escape dos navios e graças a um sniffer, que traduzido à letra significará farejador, capaz de medir as emissões de enxofre, com que está equipado, registará o nível do enxofre. Os dados serão imediatamente disponibilizados à AMD, que desta forma monitorizará as emissões dos navios e o seu grau de conformidade com as regras aplicáveis nesta matéria.

“O projecto contribuirá para uma aplicação mais eficiente das regras sobre o uso do enxofre, assim garantindo uma concorrência justa entre as empresas de transporte marítimo, e para reduzir a poluição gerada pelos navios”, refere a AMD.

O drone irá funcionar numa zona a norte do Great Belt, um estreito entre as ilhas dinamarquesas de Zelândia e Funen, actualmente estão ligadas pela Ponte de Great Belt e onde navegam grandes navios tanque de e para o Mar Báltico. Segundo a AMD, a primeira operação do drone decorreu no dia 11 de Abril.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill