Dados da APRAM revelam que o número de escalas e passageiros subiu em Abril face ao mês homólogo de 2017, mas não tanto como em Março
APRAM
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em Abril, o porto do Funchal registou um aumento no movimento de cruzeiros face ao mês homólogo do ano anterior, quer em escalas (+19%), quer em passageiros (+14%), refere a Associação dos Portos da Região Autónoma da Madeira (APRAM).

“São números muito positivos, mas abaixo do que foi atingido em Março, quando o porto do Funchal cresceu excepcionalmente, em todas as variantes, aumentando em 50%, o número de escalas e de passageiros, em comparação com o mesmo período do ano anterior”, refere a APRAM.

Relativamente ao 1º trimestre, o porto do Funchal registou 89 escalas, 183.663 passageiros, 64.933 tripulantes, 389 embarcados e 377 desembarcados, números “bem superiores aos que se verificaram no primeiro trimestre de 2017, onde se registaram “52 escalas, 139.628 passageiros, 51.000 tripulantes, 160 embarcados e 235 desembarcados”, segundo dados da APRAM.

Entretanto, conforme resultou da 35.ª edição do Palma International Boat Show 2018, que teve lugar entre 27 de Abril e 1 de Maio, em Palma de Maiorca, a APRAM vai “impulsionar a criação de um itinerário destinado aos iates e mega iates, com início ou final em Palma de Maiorca, mas incluindo a Madeira, Canárias, Açores e/ou Norte de África e Cabo Verde”, segundo a associação.

De acordo com Patrícia Bairrada, responsável pela área comercial da APRAM, “neste momento, começa a notar-se alguma saturação nas marinas do Mediterrâneo, por isso, a procura por novos destinos, próximos, seguros e que permitam alguma privacidade a este tipo de cliente”.

Segundo a APRAM, “a Madeira oferece, além de condições climatéricas, paisagísticas e de segurança, zonas de navegação mais reservadas como Porto Moniz, Porto Santo, Desertas e Selvagens”. Além disso, “o turismo de iate está a crescer, há gente que aluga um iate, visita alguns portos, normalmente em fundeadouro e assim, passam umas férias”, refere a associação, acrescentando que “é um serviço que é muito comum nas Ilhas Baleares e em marinas e portos do Mediterrâneo”.

A associação recorda que “de Janeiro a Abril deste ano, o porto do Funchal recebeu 21 super ou mega iates, mas a grande concentração foi em Abril, a 12, quando chegaram a estar em porto, seis mega iates, o que foi inédito”.

“Tradicionalmente, os mega iates param na Madeira nas travessias transatlânticas, quando vão ou quando vêm dos Estados Unidos ou das Caraíbas” e “fazem-no para descanso das tripulações, abastecimento ou turismo”, lembra a APRAM. A associação anunciou também que entre 1 de Janeiro e 9 de Maio deste ano, “o AIS da estação de pilotagem da APRAM registou a passagem de mais de uma centena de iates ao largo da Madeira”.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill