Clean Arctic Alliance pediu aos Estados que reduzissem o impacto das emissões de carbono negros das embarcações internacionais no Árctico
Arctic Sunrise
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Na sequência da reunião da IMO (Organização Marítimo Internacional), em Londres, para abordar temas relativos à protecção ambiental marinha, a organização não-governamental (ONG) Clean Arctic Alliance pediu aos Estados-membros que reduzissem o impacto das emissões de carbono das embarcações internacionais no Árctico.

Segundo a Clean Arctic Alliance, as emissões de partículas de carbono pelos navios que queimam óleo combustível pesado (heavy fuel oil, ou HFO), a principal fonte de carbono negro, têm um efeito dramático no aquecimento do clima. “Ao cortarem as emissões de carbono negro dos navios, os países-membros da IMO podem tomar um caminho rápido e eficaz para combater a actual crise climática e minimizar os impactos no Ártico”, referiu Sian Prior, Assessor Principal da Clean Arctic Alliance.

Note-se que todos os oito países do Árctico assumiram o compromisso de demonstrar liderança sobre o carbono negro em 2021.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Selvagens Ilhas Afortunadas

    Junho 6
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill