A empresa pública chinesa construtora do primeiro navio de combate anfíbio não tripulado do mundo já terá entregue a embarcação ao comprador, que não foi revelado, mas há quem entenda que o navio não está concluído
Haifa Port Company
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A China Shipbuilding Industry Corporation (CSIC) terá entregue o primeiro navio de combate anfíbio não tripulado do mundo, denominado Marine Lizard, refere o Maritime Executive citando o Global Times. De acordo com as mesmas fontes, a CSIC terá revelado um protótipo da embarcação em 2018, mas a versão agora apresentada já terá passado todos os testes de fábrica, estando pronta para ser entregue. O comprador não foi revelado, mas este modelo de embarcação estará disponível para exportação, refere o Maritime Executive.

Todavia, segundo o Maritime Executive, a revista de assuntos militares Janes Defense relata que apenas o casco está concluído e que a embarcação, apenas parcialmente pronta, foi transferida para um integrador de sistemas com o propósito de mais desenvolvimentos e interação de equipamento.

Segundo a publicação, a embarcação tem um casco trimaran em alumínio e atinge 50 nós no mar. Um motor diesel eléctrico permite-lhe atingir uma velocidade máxima de 12 milhas por hora em terra. Está equipada com duas metralhadoras e lançadores de mísseis anti-aéreos e anti-navios, segundo o Global Times, citado pela publicação. Segundo se refere, deverá ser utilizado em operações de assalto em praias, antecipando-se ao desembarque de tropas. Poderá ainda ser enviado para ilhas desabitadas por períodos de meses, onde pode aguardar instruções de activação por via remota. Tem um raio de acção de 1.200 quilómetros e pode ser controlada remotamente via satélite.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill