Para minimizar ou travar impactos ambientais negativos das infra-estruturas e soluções do projecto «Uma Faixa, Uma Rota», Pequim criou oficialmente uma plataforma de cooperação internacional em matéria de investigação e promoção de políticas sustentáveis
MAR MOTTO
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A China lançou oficialmente na última semana a Coligação Internacional para o Desenvolvimento Verde (CIDV) do projecto «Uma Faixa, Uma Rota», refere o Safety4Sea. O objectivo é promover a componente de sustentabilidade ambiental das múltiplas infra-estrutras associadas ao projecto «Uma Faixa, Uma Rota», sob pena de se registarem impactos ambientais muito negativos e comprometedores para os países abrangidos pela iniciativa e que já ascendem a várias dezenas.

Segundo a Safety4Sea, a CIDV pode funcionar como plataforma internacional de cooperação entre as agências chinesas e de outros países na investigação científica e na recomendação de políticas, orientada para a sustentabilidade dos projectos e das soluções que forem sendo agregadas ao «Uma Faixa, Uma Rota». Em causa estarão projectos nas áreas dos transportes, comunicações, energia e capacidade industrial, todos com enormes desafios, entre os quais, o da sua sustentabilidade ambiental.

A missão da coligação será pois a de integrar o desenvolvimento sustentável, e especial, a sustentabilidade ambiental, os padrões internacionais e as melhores práticas em todas as cinco prioridades do projecto «Uma Faixa, Uma Rota»: a coordenação política, as infra-estruturas, o comércio, a integração financeira e as trocas culturais, recorda a publicação.

A lista com os membros desta coligação, que conta com a presença das Nações Unidas e outras organizações internacionais relacionadas com a investigação, o ambiente, as finanças, a energia, a indústria, entre outras, pode ser consultada aqui.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill