António Silva Ribeiro

Director-Geral da Autoridade Marítima Nacional e Comandante-Geral da Polícia Marítima. Vice-Almirante, Doutorado em Ciência Política e Mestre em Estratégia. Vice-almirante, ingressou no curso de Marinha da Escola Naval em 1974, tendo obtido a licenciatura em Ciências Militares Navais em 1978. Especializou-se em Hidrografia e possui o Doutoramento em Ciência Política, o Mestrado em Estratégia, o Curso Geral Naval de Guerra, o Curso Complementar Naval de Guerra e o Curso de Promoção a Oficial General. No mar, prestou serviço a bordo do navio-patrulha Save e da fragata João Belo, tendo comandado os navios hidrográficos Andrómeda e Almeida Carvalho. Em terra, esteve colocado no Instituto Hidrográfico, na Direcção-Geral de Política de Defesa Nacional, no Serviço de Informações Estratégicas de Defesa Militares, no Estado-Maior da Armada, desempenhou o cargo de Director-Geral do Instituto Hidrográfico e foi Superintendente do Material. É professor catedrático convidado do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e professor militar da Escola Naval. É membro de várias organizações científicas e culturais, tendo publicado um total de 16 livros e mais de três centenas de artigos sobre temas de estratégia, história e relações internacionais.
Há 00 minutos
Os amuletos e a influência dos astros saiba mais
Abril 2, 2016
Há 00 minutos
Os homens do mar são, porventura, os mais supersticiosos entre todos os seres humanos. saiba mais
Março 7, 2016
Há 00 minutos
Considerações e advertências de Camões saiba mais
Fevereiro 1, 2016

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill