São dados da WindEurope, que revelam ainda uma tendência para o aumento da dimensão média das turbinas eólicas offshore
MIMRee
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em 2018, foram instalados 2.6 GW de capacidade energética eólica offshore na Europa, mais 18% do que no ano anterior e equivalentes a 15 novos parques eólicos marítimos, refere um relatório estatístico ontem divulgado pela WindEurope, uma associação promotora do uso da energia eólica na Europa cm sede em Bruxelas.

Neste contexto, a fatia de leão coube ao Reino Unido (1.3 GW) e à Alemanha (969 MW), que em conjunto instalaram 85% da nova capacidade. No caso do Reino Unido, o ano ficou mesmo assinalado pela instalação das maiores turbinas eólicas offshore do mundo (8.8 MW) e pela abertura do maior parque eólico offshore do mundo (657 MW), que resultou da extensão do parque Walney 3.

De acordo com a WindEurope, a dimensão média das turbinas instaladas no último ano, com capacidade para 6.8 MW, cresceu 15% face a 2017, indiciando uma tendência para turbinas cada vez maiores. “As turbinas estão cada vez maiores e os custos continuam a cair, sendo agora mais barato construir um parque eólico offshore do que uma central a carvão ou a gás”, referiu a propósito o CEO da WindEurope, Giles Dickson.

Actualmente, estão em construção seis novos parques eólicos offshore na Europa, incluindo o primeiro do mundo com capacidade para mais de 1 GW, o Hornesea 1, o Reino Unido. Ainda em 2018, chegaram à fase final de decisão de investimento seis novos projectos, que representam mais 4.2 GW de capacidade (mais 91% do que no ano anterior) e 10,3 mil milhões de euros de investimento (mais 37% do que em 2017).

Neste momento, a Europa tem 105 parques eólicos offshore, com uma capacidade para 18.5 MW, que corresponde a 10% da capacidade de energia eólica da Europa. De acordo com Giles Dickson, embora os Governos estejam mais atentos ao potencial da energia eólica offshore, como o demonstra o caso recente da Polónia, que planeia criar capacidade de 10 GW nessa matéria até 2040, alguns Estados surpreendem pela negativa.

Um dos casos será o da Alemanha que, segundo o CEO da WindEurope, tem metas pouco ambiciosas para 2030. Outro será o da Suécia, que não está a desenvolver projectos nessa área, apesar do seu enorme potencial. Mas o mais surpreendente será porventura o da França, que não dispõe de parques eólicos offshore nem é claro que os venha a ter.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill