A energia sustentável e a logística serão os primeiros beneficiários da introdução desta nova tecnologia nas operações do porto
Porto de Roterdão
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A incubadora BlockLab, instituída pela Autoridade do Porto de Roterdão (APR) e pelo município de Roterdão para desenvolver a tecnologia blockchain naquele porto, concluiu as primeiras aplicações, nos domínios da energia e da logística, que serão testadas ainda este ano, segundo refere a Safety4Sea.

A rede eléctrica de Roterdão, que é alimentada por alguns fornecedores dominantes de energia com centrais a carvão, pode ser uma das beneficiárias da tecnologia. Dentro e fora do porto existem várias turbinas eólicas e diversos painéis solares que alimentam a rede,gerando uma descentralização de fornecimento, a qual implica desafios complexos.

O fornecimento de energia sustentável é irregular, porque não se pode pedir para ligar e desligar o vento ou o sol, e requer uma rede inteligente que garanta o alinhamento permanente da oferta com a procura. “A blockchain é a tecnologia que pode facilitar o funcionamento dessa rede inteligente e descentralizada, ajudando a cumprir a promessa de uma transição energética”, refere Janjoost Jullens, responsável pela aplicação energética da BlockLab no porto de Roterdão.

A cadeia logística será outra beneficiária. De acordo com a APR, em média, estão envolvidas 28 partes numa transacção de carga contentorizada e têm que trocar informação cerca de 200 vezes para garantirem que um contentor chega ao seu destino. “Para as partes de uma rede descentralizada, a cooperação é a única opção de que dispõem para melhorar a sua eficiência”, refere Aljosja Beije, responsável pela aplicação de logística da BlockLab.

O contributo da blockchain para esta questão é a capacidade da aplicação de rastrear com segurança a propriedade e a localização do manifesto de embarque da mercadoria. “Podemos desempenhar o papel de um notário, mas também provamos que só existe uma cópia do documento e de que fonte ele provém”, refere o mesmo responsável, sublinhando que isto “cria oportunidades sem paralelo para automação e transacções e mesmo para novos modelos de negócio”.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill