Pela sétima sessão consecutiva, o Baltic Dry Index continua em recuperação dos mínimos históricos atingidos no final de Fevereiro e início de Março
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Baltic Dry Index, o índice que avalia a evolução do valor dos fretes de transporte dos granéis sólidos, continua a manifestar uma constante recuperação, atingindo agora o índice global um valor de 471 pontos, ou seja, uma recuperação de 21 pontos em relação à sessão anterior, ou um crescimento de 4,67%.

A maior subida foi, porém, verificada no sector do Capsize, navios de transporte na casa das 150 000 T, tipicamente de minério, crescendo 79 pontos, ou 22,9%, para se situar agora num total de 424 pontos e os fretes a atingirem, em média, os 3 512 dólares. O que significa também uma recuperação de 161 pontos em relação a 7 de Março passado.

No caso dos Panamax, a subida situou-se nos 28 pontos, ou 5,23%, atingindo agora um total de 563 pontos. Um novo máximo em 2016 para os navios que transportam tipicamente carvão e cereais e têm uma capacidade entre as 60 000 e as 70 000 T, com um valor médio de frete a subir agora também até aos 4 497 dólares.

Entre os navios de menor dimensão, como Supramax e os Handysize, os respectivos valores totais subiram também, respectivamente, para os 479 pontos e para os 274 pontos.



2 comentários em “Baltic Dry Index continua em recuperação”

  1. cristina alves diz:

    Há um lapso no vosso artigo, nomeadamente no que refere aos Panamax.
    Um navio não tem um “calado” de 60.000 a 70.000 Toneladas – isso é o DWT e está relacionado com a capacidade de carga do navio.
    O calado é medido em metros ou pés e polegadas e representa a imersão do navio, o quanto ele mergulha na água….

    1. Gonçalo Collaço diz:

      Evidente, evidente, evidente!… Os nossos agradecimentos pela atenção e pela rectificação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill