Em comunicado, a associação representativa dos transitários solidarizou-se com os operadores portuários de Lisboa numa posição critica da greve convocada pelo sindicato dos estivadores que decorre até 8 de Outubro
APAT
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A Associação dos Transitários de Portugal (APAT) manifestou solidariedade com a posição da Associação dos Operadores do Porto Lisboa (AOPL) relativamente à greve convocada pelo Sindicato Nacional dos Estivadores, Trabalhadores do Tráfego, Conferentes Marítimos e Outros que decorre desde 10 de Setembro e até 8 de Outubro, conforme assumiu em comunicado.

Para a APAT, a estratégia do sindicato “tem sido nos últimos anos invariavelmente desleal e absolutamente prejudicial para os portos nacionais, em particular para o porto de Lisboa, quase fazendo parecer que a Direcção sindical mantem uma agenda pessoal bem delineada em que a paz social e a defesa dos trabalhadores portuários não será seguramente a prioridade”.

A associação acusa ainda o sindicato de irresponsável, à semelhança do que fizeram a AOPL e o Conselho Português dos Carregadores (CPC), com uma estratégia infeliz e prejudicial para os operadores portuários, o porto de Lisboa e empresas exportadoras e importadoras nacionais que trabalham com o porto de Lisboa. No caso destas últimas, na sequência da greve, lembra a APAT, já começaram a ser sujeitas a taxas de congestionamento cobradas pelas companhias de navegação.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Segurança

    Setembro 28
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill