A AESDP “iniciou o caminho para o ordenamento sustentável do surf em Peniche”, com uma reunião onde juntou alguns dos principais agentes locais para discutir o ordenamento das escolas e a sustentabilidade do surf no Concelho.
AESDP
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

A Associação De Escolas De Surf De Portugal (AESDP) continua a dar seguimento ao seu trabalho de defesa da regulamentação e ordenamento da actividade das escolas de surf. E no seguimento desse compromisso, promoveu uma reunião em Peniche, com alguns agentes locais. Segundo o comunicado oficial, estiveram presentes o clube local alguns representantes de escolas de surf, surfistas locais, e o Capitão do Porto de Peniche, Vasco Toledo Cristo, novo no cargo.

 

“Os principais pontos discutidos foram o licenciamento dos operadores de ensino de surf e o ordenamento dos diversos utilizadores nas praias de Peniche. Actualmente, a grande pressão causada pelo sucesso do turismo de surf no concelho apresenta um desafio à capacidade de garantir a segurança e à qualidade da experiência de todos aqueles que utilizam as praias”, explicou Afonso Teixeira, da AESDP, ao Jornal da Economia do Mar.

 

Pelo que ficou decidido, na reunião, que a AESDP redigiria um documento com as propostas concretas para regular e ordenar a actividade. E, para tal, a associação irá realizar, em Janeiro (com dia a anunciar), em Peniche, uma sessão pública de debate, na qual se irão discutir as possíveis medidas a implementar. Medidas estas que deverá resultar “num documento extenso com uma série de propostas (e idealmente com mais do que uma alternativa para cada proposta)”, conclui Afonso Teixeira.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. IV Grande Conferência JEM

    Janeiro 22 - Janeiro 23
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill