O recente anúncio da possível encomenda pela CMA CGM de nove novos navios de 22 000 TEU, não apenas deixou o mercado atónito como está a gerar novas perspectivas de luta por quotas de mercado.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

De facto, num momento em que o mercado de transporte de contentores se apresenta ainda com excesso de oferta, o anúncio da CMA CGM não apenas deixou muito analistas incrédulos, senão mesmo cépticos, como levou outros, como Lars Jensen, da SeaIntelligence Consulting, a proceder a uma avaliação do mercado e a publicar também um incisivo comentário no LinkedIn.

Tendo em atenção as principais alianças estabelecidas neste momento, Lars Jensen contabiliza a 2M com cerca de 44% da capacidade total, a Ocean Alliance com 35% e The Alliance com 21% _ sendo a primeira, a 2M formada pela Maersk, MSC e Hyundai Merchant Marine, a Ocean Alliance pela CMA CGM, a Cosco, a Evergreeen e a OOCL, em vias de ser adquirida pela Cosco, e a The Alliance pela K Line, MOL, NYL, Yang Ming e Hapag-Lloyd.

Nota ainda Lars Jensen que, independentemente das novas encomendas agora anunciadas, até ao final de 2018, a Ocean Alliance já tem uma perspectiva de aumento combinado de capacidade na ordem dos 18%, contra um crescimento abaixo dos 10% da The Alliance e menos de 7% da 2M, tudo se alterando, porém, se as mesmas se confirmarem.

Se as encomendas se confirmarem, tal significa, não um aumento de capacidade da Ocean Alliance, na casa dos 18% mas de 21% _ embora não necessariamente até ao final de 2018 porquanto longe também se está de saber, como é evidente, o prazo ou data de entrega dos respectivos navios.

Se assim for, o que tal significa também é uma alteração das quotas de capacidade, no primeiro caso, da 2M, de 44% para 42%, no caso da Ocean Alliance, de 35% para 38%, e da The Alliance, de 21% para 20%.

Quota de capacidade não significa, porém, quota de mercado e, tendo em atenção a dimensão dos novos navios, admitindo que tal só faça sentido nas rotas Leste-Oeste, a pergunta é também a de saber onde o mercado para tanto oferta.

O Splash24/7 aventava ontem igualmente a hipótese do anúncio, ou mesmo estratégia, da CMA CGM poder estar induzido pelo eventual rumor provindo da China da possibilidade de uma expansão próxima da Cosco.

Se assim é, não é certo, mas, como Lars Jensen também conclui, o que parece inevitável é, avançando o negocio, estar-se a entrar num novo período de intensa luta por quota de mercado, uma vez que a tanta nova oferta importará, com certeza, dar mínimo proveito.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. 1ª Feira e Congresso Trabalhar num Navio

    Outubro 19 @ 11:00 - 19:30
  2. MOST Iberia 2017

    Outubro 21 - Outubro 24
  3. Mineração em Mar Profundo – Uma escolha sustentável para Portugal?

    Outubro 27 @ 9:00 - 18:00
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill