O ataque a Palma, estratégico, envolvendo cerca de 90 operacionais e realizado com perfeito conhecimento do terreno, das circunstâncias evolventes e máximo profissionalismo, não marca apenas um salto de escala mas também talvez um ponto de não retorno em que a intervenção internacional para salvar Moçambique da insurgência se torna tão mais imperiosa quanto se torna também cada vez mais evidente, como sublinha Jorge Silva, a capacidade de operação conjunto, terrestre e marítima, dos insurgentes.


Um comentário em “A dramática subida de escala da insurgência com o ataque a Palma”

  1. Alvaro OLIVEIRA diz:

    Meus Caros,

    Temos que dizer claramente que Moçambique é um Estado completamente falhado, fruto da corrupção do Guebuza, do Narcotráfico e do tráfico humano.

    Como disse e bem, o exército Moçambicano está mal treinado, mal equipado, mal fardado, provavelmente com alguma fome e FUNDAMENTALMENTE COMPLETAMENTE DESMOBILIZADO. E na maioria dos casos de confronto directo foge ou fugirá, pois a luta não é sua e os exemplos que vê de cima são só de corrupção. Esta luta nada lhes diz.
    Só com a intervenção de uma força externa será possível enfrentar os terroristas do Daesh.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill