Governo quer suprir défice de produção face às necessidades da procura
Zueitina
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A empresa estatal Excelerate Energy, Bangladesh Oil, Gas and Mineral Corporation (Petrobangla) e a norte-americana Excelerate Energy formalizaram um acordo para a construção e exploração do primeiro terminal de importação de gás natural liquefeito (GNL) do Bangladesh, referem vários meios de comunicação social.

O terminal terá uma unidade flutuante de armazenamento e regaseificação (FSRU) e ficará situado na ilha de Moheshkhali, na Baía de Bengala, ao largo do Bangladesh, devendo servir para facilitar o acesso do país ao mercado global de gás natural, num momento em que o Bangladesh conhece necessidades crescentes de consumo de GNL, especialmente em Chittagong. Actualmente, o Bangladesh tem uma produção média de gás natural de 2.700 milhões de pés cúbicos por dia, insuficiente para satisfazer uma procura superior a 3.200 milhões de pés cúbicos diários.

Além desta unidade, com capacidade de armazenamento de 138 mil metros cúbicos de GNL e uma capacidade base de regaseificação de 500 milhões de pés cúbicos diários de GNL importado do Qatar, segundo refere o jornal, baseado em informações da empresa norte-americana, o terminal incluirá um Sistema de bóias submarinas offshore.

De acordo com o World Maritime News, a Excelerate Energy irá desenvolver, conceber, construir, instalar, financiar e operar o terminal durante 15 anos, após o que ele será transferido para a Petrobangla. Durante este período, a Petrobangla deverá investir 1,4 mil milhões de euros anuais para manter o abastecimento de GNL do terminal.

Segundo notícias divulgadas, nos termos do acordo, a Excelerate Energy desenvolverá a estrutura flutuante durante 23 meses. Um oleoduto de 90 quilómetros de comprimento transportará o gás do terminal até Anowara para alimentar a rede nacional energética. Segundo as mais recentes previsões, a importação de GNL deverá começar no início de 2017. Outras fontes referem que o terminal começará a operar em 2018.

De acordo com fonte da Petrobangla, citada por meios de comunicação, a Excelerate Energy vai cobrar cerca de 144 mil euros por dia de aluguer da unidade FSRU e 41 mil euros por dia de tarifa operacional. Como tal, o preço de cada mil pés cúbicos de GNL importado custará, no mínimo, 2,9 euros.

Tawfiq-e-Elahi Chowdhury, conselheiro para questões energéticas do Primeiro-Ministro do Bangladesh, terá afirmado que o custo total da manutenção e regaseificação do GNL importado será de 0,5 euros por cada mil pés cúbicos de gás, segundo meios de comunicação.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill