Dados da Intercargo revelam principais causas de acidentes com graneleiros na última década
A. Panagopulos
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A Intercargo (International Association of Dry Cargo Shipowners), representativa de operadores de transporte marítimo de granéis secos, divulgou recentemente um relatório de incidentes relativo ao período entre 2008 e 2017, no qual revela que nessa década perderam-se 53 graneleiros de 10 mil e mais toneladas de porte bruto e perderam a vida 202 marítimos desses navios.

Numa análise aos anos de 2016 e 2017, os mais recentes, o relatório conclui que as principais causas de incidentes com estes navios são de origem diversa: motivos técnicos ou mecânicos, razões relacionadas com o motor principal, afundamentos, colisões (embate de dois navios em movimento) ou alisões (embate de um navio em movimento noutro parado).

Indicações preliminares revelam que as questões de segurança relacionadas com o elemento humano são as principais causas dos incidentes nos casos de afundamentos, colisões e irregularidades nos equipamentos.

Nos últimos 10 anos, segundo o relatório, as falhas dos mecanismos relacionadas com a mercadoria associadas à humidade foram fonte de grandes preocupações com a segurança da carga de granéis sólidos e uma das causas prováveis da perda de vidas de 101 marítimos e 9 navios.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill