A poncha – o brinde que premedita a 3ª etapa da Discoveries Race 2019. As novidades: novos veleiros e novos tripulantes. Os alunos da Escola Náutica Infante D. Henrique prosseguirão a bordo do Solimar e do Oceania Dos.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Opções diferentes, distintas rotas, várias táticas – uma regata que dignifica os velejadores é, na opinião de João Lúcio, do Oceania Dos, veleiro vencedor da segunda etapa, a Discoveries Race 2019. São 15 os veleiros que participam nesta regata, ainda em terra, a preparar-se para a 3ª e última etapa, que ligará o Funchal a Las Palmas de Gran Canaria. 

Partem os recém-chegados da 1ª etapa – o NRP Polar, o NRP Zarco, o Oceania Dos, o Swing mas também irão na classe ORC o Isla de Lobos (14,63 metros), o Papoa (10,94 metros), o Capa (10 metros) e o Alzenit (8,99 metros). Na classe OPEN participarão também o Solimar (10,40 metros), o Muyay (12,71 metros) e o Marujo (10,40 metros). 

Com vento de Nordeste, entre os 10 e os 15 nós, partirão este Domingo, pelas 15h55 os veleiros. Entre eles o Muyay onde seguem a bordo um pai e mais sete pequenos velejadores, homenageado este Sábado no jantar de entrega de prémios. Um verão único: os praticantes de vela ligeira lançam-se ao mar para aquela que será a primeira regata da época. Depois terão outras regatas entre as Canárias e Lanzarote para terminar em Agadir. Ao comando estão três irmãs, dois irmãos e dois amigos, com idades compreendidas entre os 11 e os 18 anos, porque o pai será o chefe de cozinha. 

“Não vamos dedicar-nos 100% à vela, mas é algo que gostamos muito de fazer” explicam os mais novos participantes da regata que apesar de tudo não querem fazer da vela a sua vida. Um futuro engenheiro, uma futura farmacêutica, ou uma futura advogada fazem parte da tripulação. 

O Marujo é a inscrição mais recente. Na pele de Miguel Sá, um navegador solitário, recém-chegado das suas aventures mar fora, participará também a bordo de um Sun Shine 36 (terá o número de vela 10). 

Tudo está bem quando termina bem. Obstáculos ultrapassados, os alunos da Escola Náutica Infante D. Henrique, que vieram até à Madeira a bordo do Volcán de Timanfaya, um ferry que liga Portimão ao Funchal, acabaram por ser convidados para enquadrar tripulações. As amarras que já unem os marinheiros a participar na regata são tais que um passa a palavra, uma factual palavra e dois dos alunos farão a regata até Las Palmas no Solimar e outro fará a bordo do Oceania Dos, o veleiro vencedor da segunda etapa.  

Depois da poncha, o bailinho da Madeira – as cortesias, os lenços, os sorrisos e as palmas rodopiaram em afável jantar de entrega de prémios antes de enfrentar novos ventos e nova terra. 



Um comentário em “3ª etapa: novos ventos, novas tripulações”

  1. Jose diz:

    Non me canso de ler tan bonitos artigos. Qué envexa non seguir rumbo a Las Palmas!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill