O Despacho está em vigor desde 1 de Janeiro e desde 25 de Fevereiro disponível no portal da DGRM
DGRM
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Desde 1 de Janeiro que está em vigor um Despacho do Director-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos que estabelece os termos da inspecção a seco e na água decorrentes das vistorias periódicas necessárias para “a verificação das condições de segurança das embarcações de recreio”, conforme se lê no diploma.

A definição dos termos destas inspecções, que são os mesmos das vistorias iniciais, quando estas têm lugar, decorre do Decreto-Lei nº 93/2018, de 13 de Novembro, “que criou o novo regime jurídico aplicável à náutica de recreio (RNR)”, refere o Despacho.

Nos termos do Despacho, as vistorias periódicas ou iniciais envolvem uma inspecção a seco ao casco, à estrutura, ao veio, à manga, ao leme e à hélice, uma inspecção a flutuar, ao funcionamento do aparelho propulsor, aos motores auxiliares e à instalação eléctrica e uma inspecção ao equipamento previsto na lei. Se na data prevista para vistoria periódica não houver condições para colocar a embarcação a seco, a inspecção pode ser adiada até seis meses.

 



Um comentário em “DGRM já definiu termos das vistorias a embarcações de recreio”

  1. joao branco diz:

    estas visturias sao uma treta apenas as entidades seguradoras deveriam exigir visturias pois sao as que teem de se responsabilizarem pelos estragos e acidentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill