O objectivo é proteger a navegação marítima no Mar do Sul da China, refere o Governo chinês, mas as ilhas são disputadas por vários países da região e têm sido motivo de tensão militar entre Pequim e Washington, que se tem pela liberdade de navegação na região e contra as pretensões chinesas
APDL
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Governo chinês abriu esta semana um centro de salvamento marítimo no Recife de Fiery Cross, nas Ilhas Spratly, para proteger a navegação e o transporte marítimo no Mar do Sul da China, nos termos do ministro dos transportes chinês, refere o Maritmie Executive. Recorde-se que estas ilhas são disputadas por diversos países da região, mas nas quais Pequim tem desenvolvido infra-estruturas marítimas e de defesa.

A medida surge na sequência do destacamento de dois navios de salvamento para operarem na região, em 2018, e que até agora já permitiram salvar 16 pessoas e dois navios, de acordo com dados do Governo chinês, refere a publicação. Recentemente, Pequim lançou centros de observação no Recife de Fiery Cross e em mais dois recifes da região, que fornecem previsões meteorológicas e lançam alarmes de acidentes.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill