Esta foi uma conclusão obtida por uma análise da DNV GL Maritime para um horizonte temporal até 2050
British International Freight Association
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Investir na eficiência energética e na redução da pegada de carbono para além dos padrões actuais pode aumentar a competitividade de um navio ao longo do tempo, revela uma análise perspectiva da sociedade classificadora DNV GL Maritime (o segundo Maritime Forecast para 2050), citado pela Maritime Executive. O documento revela também que os donos de navios com elevado nível de emissões podem estar expostos a riscos de mercado significativos em 2030 e 2040.

A mesma análise antecipa um crescimento de 32% no comércio marítimo, medido em toneladas-milha (volume de mercadoria paga transportada por cada milha), entre 2016 e 2030, mas somente de 5% entre 2030 e 2050. Uma conclusão que é baseada num modelo actualizado de avaliação global que congrega a procura e oferta de abastecimento energético e a utilização e troca de energia dentro e entre dez regiões do mundo, refere a mesma publicação.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Segurança

    Setembro 28
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill