Juntamente com a Austrália e a Coreia do Sul, os Estados Unidos participam em manobras militares no Pacífico destinadas a prevenir a entrada de material nuclear ou armas de destruição massiva na Coreia do Norte
Coreia do Norte
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

As marinhas dos Estados Unidos, Austrália e Coreia do Sul, estão a fazer exercícios conjuntos para simular manobras de intersecção de navios destinadas a impedir a importação ou exportação de material nuclear ou armas de destruição massiva pela Coreia do Norte.

Os exercícios, que estão a decorrer na Ilha de Jeju, na Coreia do Sul, têm como objectivo manter a prontidão das forças militares e a sintonia das várias forças em presença, de forma a manter a segurança e estabilidade nos mares e dar cumprimento à resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas que impôs sanções à Coreia do Norte.

Estes exercícios envolvem quatro navios: o destroyer da Coreia do Sul King Sejong, o destroyer dos Estados Unidos USS – Chafee e os navios de escolta australianos Melbourne e Parramatta. E coincidem com a visita do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, à Ásia, onde, no decurso de reuniões com vários dirigentes políticos, como o Primeiro-Ministro Shinzo Abe, tem fortalecido a vontade das nações de maximizar a pressão sobre a Coreia do Norte, expressando novamente o compromisso que tem com a defesa do Japão.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill