Na celebração do 93º aniversário da ENIDH, Ana Paula Vitorino anunciou que o novo navio de investigação do IPMA deve estar pronto em breve e que vai avaliar se é justificado investir no Noruega
ENIDH
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A Escola Superior Náutica Infante D. Henrique (ENIDH) comemorou ontem 93 anos, enquanto única escola de formação superior marítima pública a nível nacional. Esta celebração contou com várias intervenções como a de Ana Paula Vitorino, ministra do Mar, do presidente da ENIDH, Luis Baptista, do presidente do Conselho Geral da ENIDH, Rui Raposo, do presidente da Associação de Alunos da ENIDH, Tiago Gomes Inácio, e do presidente dos Alumni da ENIDH, Rui Reis.

Durante o evento, foram distinguidos 15 alunos nas várias áreas, por mérito, que receberam prémios de empresas como a Rebonave, a Svitzer, ou a Douro Azul. Em jeito de comemoração, foram assinados protocolos entre a escola e várias entidades, como o Instituto de Socorros Náufragos (ISN).

Nos vários discursos falou-se da ENIDH, dos eventos que realiza, da experiência que proporciona aos alunos e do que pode fazer para melhorar. Começando por garantir Luís Baptista que “tudo faremos para proporcionar aos alunos a melhor qualidade de estudo”, relembrando todas as novas iniciativas que irão promover, como novas licenciaturas.

O presidente do Concelho Geral da ENIDH relembrou que o sistema de qualidade e certificado se manterá, tentando antecipar aquilo que o mercado vai necessitar dos alunos num futuro próximo.

Já o Presidente dos Alumni deixou um desafio para celebrar o centenário da escola, dentro de sete anos. O de que se crie uma comissão para preparar as iniciativas de comemoração e fazer-se um estudo de viabilidade para ter um navio escola.

Na sua apresentação, Ana Paula Vitorino começou por deixar uma palavra de apreço aos alunos de mérito – “que sejam os embaixadores da excelência desta escola pelo país fora, e por este mundo fora”, referindo também que “concretizar o desígnio português no mar português”, não é o seu plano por excelência. Prefere que o desígnio seja “fazer acontecer o mar”.

A ministra do Mar elogiou a escola, apoiando o que tem feito, como a internacionalização, e defendeu que a principal embaixadora de Portugal noutros países é a formação. Sublinhando no entanto que a escola tem, ainda assim, de ir mais longe, pelo que vê com agrado o apoio a que a ENIDH se candidatou no âmbito do EEA Grants, que dispõe de 40 milhões de euros até 2021 com propósitos ligados ao mar. Também o Fundo Azul é importante pois permite parcerias entre a investigação científica e o ensino superior ou empresas.

Ana Paula Vitorino assinalou igualmente a capacidade que a ENIDH teve para responder ao desafio de dar formação a mais de 500 oficiais que foram obrigados a certificar-se de novo. E em vez de comprometer apenas as entidades ali presentes, comprometeu-se também a si mesma, ao Governo, pois acredita ter também responsabilidade na criação de bases para que os empregos ligados ao mar tenham condições.

Recordou ainda que há que rever o regulamento de Inscrição Marítima, e adaptar os procedimentos aos dias de hoje para podermos assinalar um crescimento como o registo da Madeira. Na questão da náutica de recreio e da pesca, assegurou que a matéria legislativa está num bom caminho.

Maiores ofertas profissionais, mais possibilidade de criação de riqueza, é o que afirma importar neste momento. E no que diz respeito aos portos, questionou se será necessário ou não fazer o novo investimento na segunda fase do Terminal Vasco da Gama. A ministra do Mar referiu também que quanto aos investimentos nos portos, há que “dar o salto” em termos de eficiência energética, (propondo que Portugal seja por excelência o país pioneiro a proporcionar GNL), há que investir nas novas tecnologias e dar uma nova visibilidade do sector e do país aos outros países.

Divulgou ainda que o navio Mar Portugal, deverá estar pronto dentro de dois meses. Em relação ao navio Noruega já foi solicitada a avaliação do mesmo para saber se vale a pena fazer investimento ou não.



Um comentário em “Mar Portugal pronto dentro de dois meses”

  1. António Maia Sêco diz:

    Também participaram no aniversário da Escola, diverso Armadores de navios de comercio, (MSC, PETER DOHLE, EMPRESA DE NAVEGAÇÃO MADEIRENSE, MUTUALISTA AÇOREANA),
    A Srª Ministra falou de tonnage tax.
    Por acaso, sem navios mercantes a economia do mar é muito melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill