Concurso público abre em breve, com valor base de 120 mil euros
Docapesca
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Foi ontem anunciado, em Portimão, na presença da ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, que “a Docapesca cai reabilitar as redes de água e de energia eléctrica das duas pontes-cais do porto de pesca do rio Arade”. Segundo informou a Docapesca, o “concurso público será lançado no curto prazo com um preço base de 120 mil euros”.

Graças a este investimento, será possível viabilizar o acesso a água e energia eléctrica às “embarcações de pesca que utilizam as pontes-cais para atracagem e estacionamento, criando melhores condições para o desempenho da sua actividade com elevados padrões de higiene e segurança alimentar”, refere Docapesca.

No caso da rede de água, “o objectivo será substituir as tubagens e respetivos acessórios por materiais em polietileno de alta densidade e pressão nominal para transporte e abastecimento de água potável”, nota a Docapesca, acrescentando que a intervenção incluirá “uma estrutura em betão armado para instalação de uma bateria de contadores com electroválvulas e válvulas de seccionamento de esfera”.

Quanto à rede de energia eléctrica, a Docapesca refere que “está previsto o fornecimento e montagem de novos armários de distribuição de energia e de iluminação e novos ramais de alimentação da rede, assim como novas colunas de iluminação, equipadas com luminárias baseadas em tecnologia LED”.

Em comunicado, a Docapesca sublinha também que o projecto tem “uma componente de engenharia de automação que vai permitir a monitorização remota dos consumos de água e de energia eléctrica” capaz de, quando necessário, permitir uma actuação “sobre estes mecanismos a partir de um sistema de controlo central”.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill