Conceito envolve dois navios, mangueira e unidade de processamento, reunidos para recolha e separação de plásticos nos oceanos
Petroleum Geo-Services
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A Petroleum Geo-Services (PGS) desenvolveu um novo conceito para a recolha de plástico em larga escala dos oceanos. O dispositivo envolve um navio sísmico, um navio de apoio, uma mangueira aspersora e uma unidade de processamento.

Com o apoio dos dois navios, a mangueira é disposta a 50 metros de profundidade e é ventilada a partir do navio sísmico, que lhe injecta ar. Esse ar gera bolhas que vão impulsionar o plástico até à superfície, onde é recolhido por uma unidade de processamento, que separa os materiais orgânicos do plástico.

O plástico é comprimido, embalado e recolhido para ser enviado para unidades de processamento ou reciclagem.

Conforme explica Jon Erik Reinhardsen, presidente e CEO da PGS, “existem giros oceânicos de lixo bem conhecidos em diferentes oceanos de todo o mundo e o nosso conceito de recolha do plástico tira partido destas correntes nesses sistemas e recolhe o plástico antes de ele eventualmente se afundar e penetrar no solo oceânico”.

Segundo a PGS, os seus quatro navios sísmicos serão utilizados na recolha de plástico. A empresa acrescenta que neste momento procura financiamento externo para um teste piloto do sistema.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill